RaZÃo E sEnSIbilIdAde

Quando eu comecei esse blog, achei que era apenas para meter a boca na galera da faculdade ou mesmo na turma do trabalho.Nunca imaginei que desta vez, conseguiria falar tanto de mim mesma, sem a menor pretensão de mudar algo nisso tudo. Relendo alguns post’s, vi o quanto estava tímida, e pior de tudo que alguém me descobrisse e apontasse para aquela mulher, solta em seus pensamentos, e um grito do peito sairia em alto e bom tom: - OLHA A VADIA ALI Nossa só de pensar me da um nó na garganta. No meu dia a dia, ninguém sonha que posso ser assim, um tanto volúvel, pra ter uma idéia de como as aulas de teatro me fez bem, nesta semana uma amiga me disse: - Sexy quem diria, você mudou tanto, largou a vadiagem, e esta séria, levando a vida a serio, jamais achei que um dia fosse lhe ver assim! Um sorriso saiu dos meus lábios pequeno e muito bem desenhado, com um certo prazer e descaso, e pensei VAI NESSA AMIGA! Depois pensei de novo, e cheguei à conclusão que engano tão bem que seria até capaz de me enganar.Estou no caminho certo, pensei segurando a respiração. Hoje minha sensibilidade chegou ao seu apogeu, me deixando chorar por uma simples musica tocada na radio de um carro parado ao lado do ônibus que eu estava, e quando me dei por conta reparei, que mais da metade de São Paulo se encontrava dentro dele, e eu ali com toda aquela multidão, era a pessoa mais sozinha do planeta.Bateu-me uma frustração, uma indiguinação, que comecei a passar mal. Se esta não foi a pior semana da minha vida, misericórdia, não sei se terei capacidade de sobreviver à outra, fui humilhada por todos que podiam e não podiam fazer isso, primeiro começou com o BOFE, com a fase morfética de falta de grana, quase nos pegamos no tapa, depois minha irmã neurótica, com suas crises de ciúmes, que me tira do serio, e pra fechar com chave de ouro, meu chefe endemoniado, que fez questão de lembrar a minha idade e dizer que não sou nada, tudo isso, por que fui falar de uma vaga interna que abriu e eu me interessei. Não sei o por que de tudo isso, só sei que me sinto uma bosta, bosta mole de diarréia, vida sem sentido, vida com poucos amigos, vida cheia de incertezas, vida cheia de frustrações e sonhos ainda não realizados, é nessas horas que eu lhe digo que não faço parte desse mundo, e eu não consigo entender o que estou fazendo ainda aqui. Bom, chega desse papo depre, o que quero é agradecer a todos vocês que me mandam e-mails, deixam seus recadinhos, e são meus psicólogos virtuais.Muito obrigada por momentos tão gostosos que tenho, afinal em meio a tanta maluquice, percebo que não sou a única passa mal aqui!!!!!!

Comentários

  1. por isso que escrever é uma delícia, é um perigo, é uma tortura, é uma liberdade

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É com vc Sexy.

Postagens mais visitadas deste blog

VerDadEirO oU fAlsO?

MulHer CagaDa

RegrEssãO